O irmão de Whitney Houston admite que começou a usar drogas e se sente responsável por sua morte

Michael Houston, irmã Whitney, drogas

Whitney HoustonIrmão mais velho Michael admitiu que virou o atrasado cantor nas drogas, estimulando o hábito que acabou levando a Morte de Houston com apenas 48 anos no ano passado.

Michael, aparecendo em uma entrevista recente ao lado de sua mãe Cissy promover seu novo livro de memórias, Relembrando Whitney, confessou: 'Eu estou vivendo ... Eu não estou vivo sem ela.

“Eu me sinto responsável por [Morte de Whitney Houston,] Sempre cuidei, deveria ter cuidado melhor dela. ”



Questionado sobre o relato de sua mãe sobre o Eu sou seu bebê esta noite cantora batalha com drogas em seu novo livro, Michael disse 'é doloroso' e admitiu que se sente 'responsável por deixar isso ir tão longe.

“Nós começamos a usar drogas, também fizemos isso juntos e ficou fora de controle - era difícil.”

Perguntado se ele permitiu as primeiras experiências de Whitney com crack cocaína, ele disse: “Sim, fizemos tudo juntos. Depois que fiz isso, ela seguiu o exemplo.

“Na época, nos anos 80, era aceitável. Na indústria do entretenimento, não era um palavrão como o que temos agora ”, disse ele. “Aconteceu ... não sei dizer exatamente quando. Estávamos viajando, no final dos anos 20, aquele dinheiro acabou de ser pego ... tem sido uma batalha desde então.

“É algo com que viverei pelo resto da minha vida.”

Michael confirmou que o marido de Whitney, Bobby Brown veio depois que Whitney já tinha tentado, e gostado, crack cocaína, dissipando a crença de longa data de que Brown foi quem primeiro apresentou Whitney às drogas.

Como spiceend.com relatado anteriormente, a Eu quero dançar com alguém cantora foi escalada para se apresentar em uma festa pré-Grammy Awards realizada pelo produtor Clive Davis em 11 de fevereiro de 2012, o dia em que ela foi encontrada morta no quarto dela no Beverly Hilton.

Funcionários mais tarde pronunciaram a causa da morte como afogamento, acrescentando que a cantora tinha traços de cocaína em seu sistema.

Relembrando Whitney, publicado pela Harper Collins, já está nas livrarias.